Cristianismo na prática

De que vale a um homem ganhar o mundo inteiro e por inteiro se perder?

     Uns dias atrás me ajoelhei na cama e comecei a conversar com o Pai. Enquanto tentava orar (você já vai entender o porque do tentava), me vi pensando em diversas cosias, menos no que deveria naquele momento. O fim do semestre na faculdade (e acho que em qualquer lugar que você esteja estudando) resulta em milhões de apresentações, artigos e projetos, e isso faz com que minha cabeça não pare um minuto. Nesses milhões de pensamentos, me vejo impossibilitada de realmente adorar a Deus, de me dedicar a Ele. Nesse pensamento, lembrei-me de uma lista que vi em um blog cristão uma vez: “A ordem das prioridades de um cristão “Deus, família, trabalho e lazer”. Então, comecei a pensar em quais eram as prioridades da minha vida e logo vi que havia algo errado. 

     Em 18 horas do meu dia (fora as outras 6 horas que eu estava dormindo), 90% delas eu passo pensando nos trabalhos da faculdade, em livros que preciso ler, no inglês que preciso aprender. Aí você para e pensa: mas tu não respira? Não tem um tempo que você não faça nada e possa usar ele para essas coisas? Não! O único momento do meu dia que eu não estou correndo para fazer as milhões de coisas da minha lista de afazeres (sim, eu tenho uma lista) é no ônibus quando estou indo trabalhar. Isso resulta em 25 minutos sem fazer nada no dia.

     O que nos diz a palavra do Senhor sobre isso? “Aí Jesus chamou a multidão e os discípulos e disse: — Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa e por causa do evangelho terá a vida verdadeira. O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida.” (Marcos 8:34-37). Agora vamos pensar: apenas 25 minutos do meu dia para me dedicar ao Senhor da minha vida? Como poderia eu tornar Deus alguém coadjuvante nos meus pensamentos?

     A palavra de Deus é clara: para sermos seus seguidores, precisamos abandonar nossos próprios interesses e estar prontos para morrer por Ele. E será que estamos prontos para morrer por ele? Será que eu estou pronta para abrir mão dos meus interesses pessoais como prioridade e tornar Ele a minha prioridade? Estamos prontos quando deixamos de ler a Bíblia, de orar, para fazer os trabalhos da faculdade? Ou para irmos ao shopping? Ou para ficarmos mexendo no celular?

     Enquanto pensava sobre isso naquele dia, lembrei de uma música do Paulo Cesar Baruk: Senhor do Tempo.

“Eu busco tempo para tantas coisas
São tantos planos para pouco tempo
Em meio a tudo o que exige tempo
Eu já não tenho tempo pra falar com Deus
Eu me disponho para o trabalho
E sem notar eu perco o horário
Só resta tempo pra fechar a porta
Pra tudo que na realidade importa

Ganhei meu mundo
Perdendo a alma
Tentei de tudo
Me vi sem calma
Busquei tão longe
Quando tão perto
Teria tudo do jeito certo”

      Planejamos tantas conquistas, tantos sonhos, e o principal se perde em meio a tudo isso. Nunca direi que devemos relaxar nos estudos, que devemos deixar de fazer nossas obrigações. Nem pensar. Ser cristão está além de viver em nosso mundo de perfeições cristãs. Ser cristão não é ser alguém dedicado a Deus e deixar os outros aspectos da nossa vida em total desastre. Devemos manter um equilíbrio e, o principal, uma prioridade.

     Minha rotina era acordar, tomar banho, tomar café, estudar o inglês, fazer as coisas da faculdade e depois, se sobrar tempo antes de ir trabalhar, orar e ler a bíblia. Fora que, quando sobrava tempo, eram 10 minutos e metade desses minutos eu passava pensando nas milhares de coisas que precisava fazer ainda naquele dia. Será se Deus, na sua grandiosa soberania (Isaías 46.9-11, 1 Timóteo 6.13-16), tendo depositado sua infinita graça sobre nós (1 Coríntios 1.4, Tito 2.11-14, Efésios 2.4-5) e ternos feito seus filhos (1 João 3.1, João 1.12-13, Romanos 8.16-17), merece que em um dia com 24 horas, apenas 10 minutos sejam diretamente para Ele?

     Ao refletir sobre isso, criei estratégias. Como contei, no momento que me dedicava ao Senhor não conseguia me concentrar, pois já estava com a cabeça cheia. Agora, antes de estudar qualquer outra coisa, reservo um tempo bem bom e especial para Ele. Assim, esqueço-me de tudo a minha volta e me dedico a cada coisa ao seu tempo. Pois assim como diz a palavra do Senhor: “Tudo nesse mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião” (Eclesiastes 3.1). Esse é o momento que tenho para Deus “diretamente”, fora os que tenho indiretamente em meu dia, mas isso é assunto para outro post.

     Lembre-se: “De que vale a um homem, a qualquer homem, ganhar o mundo inteiro e por inteiro se perder” (PC Baruk – Senhor do Tempo).

C.B. – 13/07/2017

 

Um comentário em “De que vale a um homem ganhar o mundo inteiro e por inteiro se perder?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s