Cristianismo na prática

Pequei, e agora?

20196963_1238871619554727_683169694_n

Primeiramente devemos fazer aqui uma diferença entre “viver uma vida de pecado” e “pecar no caminho da santificação“. Quem vive uma vida de pecado vive para seu próprio eu, busca sempre satisfazer suas vontades, para essas pessoas não importa se desagrada a Deus, o que importa é “ser feliz” (sabemos muito bem que não há felicidade verdadeira numa vida de pecado). Pecar no caminho de santificação é quando um crente, temente a Deus, que busca ao Senhor cai em tentação, o fator de diferença primordial aqui é o desgosto de fazer o que foi feito, quem é temente a Deus verdadeiramente e acaba pecando sente nojo pelo pecado cometido, se sente sujo, e muitas vezes se sente indigno até mesmo de orar pedindo perdão ao Senhor.

A palavra do Senhor nos diz em Romanos 3:23 que” todos pecaram e carecemos da glória de Deus“. Desde o pecado original, lá no Éden, éramos escravos do pecado e a partir daquele momento nossas vontades sempre estiveram inclinadas para o mal, desejando satisfazer nossos desejos carnais. O único que veio a esse planeta e não cedeu ao pecado foi nosso salvador Jesus Cristo, ele sim, o único homem sem pecado, tem poder para nos tirar dessa escravidão e nos livrar desses desejos impuros.

Não serei hipócrita de chegar aqui e dizer que se você viver dentro de uma igreja você não vai pecar, porque seria mentira. Desejos nos afrontam todos os dias, as oportunidades sempre aparecem, afinal Jesus nos disse em Mateus 7:13 que “estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida.” Mas se você viver uma vida próxima do Senhor Jesus e buscar o centro da vontade de Deus, com a ajuda da Bíblia Sagrada, você não irá se livrar das vontades, mas irá se livrar de agir em favor delas. Jesus pode ter dito que o caminho não seria fácil, mas ele não disse que seria impossível. Em função disso quero deixar aqui 5 pontos essenciais para um arrependimento verdadeiro.

1- Identificar o pecado;

Devemos saber onde estamos errando, e, até mesmo antes disso, devemos saber qual de nossas ações está gerando o desejo de pecar, porque o pecado não é algo que chega do nada e acontece, o pecado começa com um deslize que cometemos e que acaba nos gerando a vontade de pecar. Muitas vezes ficamos relutando contra essas vontades, mas não cuidamos para que não ocorra o fator que causou o desejo. Se identificarmos o pecado lá no seu início, já é um grande passo para nos livrarmos dele.

Como está escrito em Tiago 1:15 :  “Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.”

Note que Tiago compara o surgimento do pecado em nós como se fosse uma gestação. Primeiro a cobiça/desejo é concebida, ou seja, alguém a fecunda, somente depois de fecundada que ela dá à luz ao pecado. Mas lembrem-se: para a cobiça ser “fecundada” é preciso um fecundador, que seria nós, sem fecundador, sem fecundação. Lembra daquela velha história “quando um não quer, dois não fazem”? Se nós não alimentarmos a cobiça, ela não dá à luz ao pecado sozinha. Peça a Deus para lhe ajudar a identificar seu pecado e a origem dele.

2 – Precisamos nos arrepender;

É preciso se arrepender. É preciso olhar para trás, ver o pecado cometido e se entristecer, sentir nojo de si, querer não cometer de novo, estar disposto a abrir mão de suas vontades para agradar a Deus.

Ore. Busque em Deus o arrependimento, peça a Ele que conceda a você o que Paulo diz em Atos 5:31: “Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados”. O arrependimento é uma dádiva do Senhor, dada através de Jesus Cristo, mas quem tem que se humilhar a Ele e pedir isso é você, então vá e se arrependa aos pés da cruz.

Devemos fazer como o filho pródigo. Enquanto ele não se arrependeu, ele não voltou para a casa do pai, mas a Bíblia nos diz que depois que ele caiu em si, ele lembrou de como era bom estar na casa do pai, de como era agradável estar debaixo da proteção e da graça do pai.

3 – Sabemos onde pecamos, nos arrependemos, agora devemos CONFESSAR AO SENHOR;

A Bíblia nos fala em 1 João 1:8-9 que “Se dissermos que não temos temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

Ao confessar nossos pecados a Deus estamos reconhecendo 3 coisa. Primeira: Que nossa atitude foi completamente errada. Segundo: Somos dignos de receber punição pelo nosso Senhor. Terceiro: nosso refugio é o Senhor, pois é Ele que nos alivia dos nossos fardos pesados (Mateus 11:28-30). Buscar o Senhor em oração para se arrepender é como o filho pródigo voltando para casa, Deus se alegra quando seus filhos se mostram arrependidos e pedem ajuda a Ele para mudar suas ações pecaminosas.

As vezes nos sentimos envergonhados para fazer essa oração de confissão, mas não desista por isso, lute contra seu eu, e faça o que a Bíblia te ensina: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados.”

4 – Transformação;

Se eu me arrependi e confessei o meu pecado, não há possibilidade de querer continuar da mesma forma, cometendo o mesmo pecado. É preciso mudar! Como já sabemos onde pecamos, devemos então nos armar contra esse nosso desejo que possibilitou o pecado.

Para se transformar é preciso estar junto de Deus, ler a sua palavra diariamente, pois é por meio dela que o Senhor nos mostra como devemos agir, qual deve ser nossas posições frente ao pecado. Sem leitura da Bíblia, que é a vontade de Deus, é impossível combater o pecado.

Não é a toa que em Efésio 6:17 a palavra de Deus é chamada de espada, pois é com ela que enfrentamos o pecado. Um soldado, na época de Cristo, sem sua espada numa guerra não servia de nada, pois ele não tinha como enfrentar seus oponentes, ele podia esperar pela morte certa. Sem a palavra de Deus nós estamos desprotegidos para lutar contra o pecado, então… LEIA A BÍBLIA PARA NÃO CAIR EM PECADO!!!

5 – Precisamos perseverar nos 4 pontos anteriores TODOS OS DIAS.

Precisamos identificar nossos erros, nos arrepender, confessar ao Senhor, nos transformar e perseverar novamente. Isso deve ser algo contínuo, um hábito nosso, para que pequemos cada vez menos e menos e menos, para que o Senhor se agrade de nós, de nossas atitudes em meio as adversidades.

Nesses momentos lembro de uma frase de Charles Spurgeon: “As ovelhas podem até cair na lama, mas só os porcos rolam nela.” Se você pecou e sentiu tudo o que foi falado e quer mudar, lute para isso, NÃO ROLE NA LAMA.

A palavra do Senhor nos diz assim: Filhinho meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;” (1 João 2:1). O pecado é um desvio de conduta das ovelhas de Deus, um ponto fora da curva, mas se pecarmos e nos arrependermos, o Senhor Jesus será nosso Advogado junto ao Pai.

Pois, foi através de Jesus Cristo, o nazareno, que fomos libertos dessa escravidão podre e podemos ser chamados de filhos de Deus, e nos apresentar a Ele sem mácula no dia do juízo final.

Não desista de para de pecar, busque cada vez mais ao Senhor, lute contra seus pecados, leia a Bíblia. Se você ainda quer parar de pecar lembre-se que Deus “Não apagará o pavio que fumega.” (Mateus 12:20).

O crente pode até cair, mas ele não cairá no mar da perdição, ele cairá no barco de Cristo, que o ajudará a levantar.

Jhon Gonçalves – 20/07/2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s