Cristianismo na prática

“A minha graça te basta” 2 Coríntios 12.9

20401326_1497257253669889_1671589724_n

     Outro dia, em meio a um momento muito delicado de um domingo, comecei a refletir. Estava eu no meio de uma luta interna, sobre continuar a fazer algo que satisfazia minha carne, mas me distanciava de Deus e prejudicava meu namoro, ou então finalmente mudar (após muitas vezes já tentado tomar essa decisão e então ter falhado). Porque dessa luta? Olhando assim era óbvio que eu deveria mudar, né? O que me incomodava era que, com a mudança, eu teria que lutar contra mim mesma todos os dias (muito mais que o normal e muito mais doloroso), contra meus desejos. Quando o certo acontecia, meu coração se angustiava, eu me irava e aquilo me fazia sofrer. O pecado já estava em mim, ele já havia se tornado algo natural aos meus olhos.

     Enquanto pensava sobre como iria sofrer, iria me sentir mal e nada poderia fazer para aquilo passasse (pois o que antes eu fazia era desistir da mudança e continuar a pecar), me veio na minha mente 2 Coríntios 12.9 “A minha graça te basta […]”. Há muitos dias já vinha pensando sobre esse versículo e sobre a aplicabilidade dele em nossas vidas. Eu vinha me questionando se a graça de Deus me bastava, se, caso eu perdesse algo que muito amava, iria nEle permanecer e encontrar forças para superar, ou então iria me perder e desistir de tudo. A minha resposta não foi das melhores.

     Não podemos nos enganar, precisamos refletir e reconhecer o quão limitados somos. Eu sabia que naquele momento, a graça de Deus não era o que bastava para mim. Mas também sabia que precisava mudar. Saber que estava pecando nisso me incomodou tanto que todo dia orava, buscava e refletia sobre isso e sobre a mudança que em mim deveria acontecer.

    Já falei aqui sobre prioridades (Clique aqui para ver o post), o que se encaixa perfeitamente nessa questão. Qual a prioridade em nossa vida? A graça de Deus nos basta? A primeira coisa que eu fui refletir foi se não pudesse mais estudar. Quem me conhece sabe o quanto gosto de estudar e aprender coisas novas, e por muito tempo isso foi minha prioridade. Ao colocar Deus na frente da faculdade (o que antes era ao contrário), às vezes, ainda me vejo desesperada caso tenha que deixar de estudar.

      E se eu não tivesse me questionado no meio daquela reflexão? E se eu nunca tivesse lido aquele versículo e não entendesse a complexidade de glorificar a Deus em todos os contextos de nossas vidas, o que implica em torná-lo nossa prioridade e de a Sua graça nos bastar para tudo. Você reflete sobre quem é a sua prioridade? Você reflete se conhece a si mesmo o suficiente para pensar se a graça do Pai bastaria na sua vida? Veja o exemplo de Jó. Jó perdeu tudo em sua vida, sua família, suas riquezas, mas mesmo assim permaneceu firme em Deus. Jó suportou tudo com fé, depositando seus sofrimentos no Pai.

     Devemos refletir a cada momento de nossas vidas sobre tudo. Esse é um dos meios de identificarmos se estamos pecando ou não. Ao ler um versículo, reflita sobre sua aplicação, analise ele e faça uma comparação com suas atitudes. Lembre-se sempre de se perguntar:

  1. Quem/O que é a prioridade em minha vida?
  2. Deus é o que mais importa para mim?
  3. Se eu digo que Ele é a minha prioridade, o tempo que dedico a Ele reflete isso?
  4. A graça de Deus basta na minha vida?
  5. Se eu perdesse meu emprego ou alguém importante, conseguiria eu entender que tudo que o Pai faz tem um propósito e que, nas dificuldades e aflições, devemos nos fortalecer e confiar nEle?
  6. Conseguiria eu suportar perder tudo e permancer com o Pai assim como Jó fez?
  7. Eu estou pedindo ao Pai que me de força e coragem para aprender a colocá-lo como minha prioridade, a viver apenas como Ele sendo suficiente? Estou, além de pedindo isso, me esforçando, estudando a sua palavra e me mantendo firme?

     Meu querido, minha querida, não podemos esquecer que a luta pela nossa santidade deve ser diária. Se não acontece dessa maneira, algo está errado. Se nossos pecados não nos incomodam, se nossos pecados não são mais percebidos por nós, ele já se tornou algo normal aos nossos olhos. Lembrem-se de sempre pedir que o Pai lhe instrua e de encontrarem forças nEle para vencerem a si mesmos. Pois “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo” (2 Coríntios 12.9).

C.B. – 29/07/2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s